22 agosto 2016

Você conhece Todd Mcfarlane??

- 700 NÃO!  

Mcfarlane desenhando na Mesa Digitadora


        Se você não conhece Todd Mcfarlane, pelo menos ouviu "uma vez na vida" este nome "rondando" no mercado do entretenimento, principalmente nos anos 80 e 90. Mcfarlane, desenhista bem - sucedido de histórias em quadrinhos, canadense, nascido em Calgary, 16 de março de 1961. Descobriu sua vocação para os desenhos ainda jovem no Ensino Médio, atualmente ele mora no Arizona e Califórnia, EUA, com sua esposa Wanda e 3 filhos. Na juventude comprava todos os gibis que ele pudesse pagar e saia desenhando tudo que via pela frente, especialmente as obras de seus artistas favoritos: John Byrne, George Pérez, Marshall Rogers, Michael Golden, Art Adams e Walter Simonson. Naquela época, embora tenha passado muito tempo desenhando super herois de quadrinhos, seu maior sonha era ser jogador profissional de Baseball. 

                
Todd com o seu ArtBook

       Em 1984, abandonando seus planos de seguir carreira no Baseball, Todd Mcfarlene, o jovem estudante da Eastern Washington University, foi morar num trailer enquanto trabalhava como zelador e empregado numa loja de quadrinhos. Depois de bombardear os escritórios da Marvel Comics com várias amostras todos meses, colecionou 700 rejeições pela a editora.  No início de carrreira ele obteve 700 rejeições!  (- é isso mesmo!, segundo a reportagem que ele deu para a revista Wizmania n°8/ 2008 ele confirmou que no ínicio, não foi nada facíl, para engolir "700 NÃO!" e pessoas conceituadas dizendo: "você precisa melhorar" ou "nunca vai trabalhar pra Marvel se continuar com isso aqui." ou "Desisti, não tem espaço pra caras como você nesse lugar." ou "você nunca vai trabalhar pra editora nenhuma").
       700 rejeições. É um número quase imensurável, uma quantidade monolítica de negatividade capaz de fazer qualquer talento promissor correr para pegar o emprego de escritório mais próximo e se esconder entre pilhas de relátorios. Mas para Todd Mcfarlane, então apenas um jovem estudante com planos de se formar em Design Gráfico, foi apenas uma época ruim, relata Mcfarlane para a revista Wizmania. A persistência de Todd valeu a pena, em 1984 seus desenhos chamaram a atenção do editor da Epic Comics, Steve Englehart, qua passou para ele uma história secundária de Scorpio Rose, na edição 11 de Coyote (publicação da Marvel Comics). E em 1985, veio o convite para trabalhar na DC Comics, onde fez números de All - Star Squadron. O editor Roy Thomas rapidamente o pegou para fazer algumas histórias "tapa-buracos" para Corporação Infinito, em Superamigos n°23. Esse trabalho provisório acabou se estendendo por 2 anos. Nesse meio tempo, Mcfarlane casou com sua namoradinha de adolescência, Wanda. Eles se mudaram para Washington, onde Wanda completou sua faculdade em Biologia e, em seguida, se mudou de volta para o Canadá, vivendo em subúrbio de Vancouver.

                           
Algumas das cartas de rejeição da Marvel Comics para o Todd Mcfarlane


     Mcfarlane continuou a fazer progressos na indústria de quadrinhos, varias atribuições na Marvel Comics e DC Comics (chegando á desenhar títulos importantes, como Hulk e Batman). Mas a fama e o sucesso de desenhista SuperStar da Marvel Comics foi em 1990, com sua passagem nos títulos: The Amazing Spider-Man e Spider-Man. Em setembro de 1990, as revistas em quadrinhos do Spider-Man, desenhadas por Todd Mcfarlane quebrou recordes de vendas, chegando ao patamar de 2,5 milhões de cópias vendidas.
            
                 
Mcfarlane e sua Arte (Capa do Spiderman - 1990)


     Em 1992, escolhendo evoluir suas habilidades artisticas, ele largou a Marvel Comics. Mcfarlane e com outros 6 artistas (Jim Lee, Rob Liefeld, Jim Valentino, Erik Larsen, Marc Silvestri e Whilce Portacio), fundaram a Image Comics, uma empresa que prometia aos seus participantes algo que Mcfarlane desejava desde o início de sua carreira: controle completo e posse do seu trabalho. Depois que Youngblood #1 de Rob Liefeld estreou a nova linha, Todd acertou em cheio com a criação do personagem Spawn, apresentando um personagem que ele havia criado inicialmente em 1977, quando tinha 15 para 16 anos de idade. A primeira edição do título: Spawn vendeu 1,7 milhão de exemplares, um feito impressionante para uma revista independente.

Mcfarlene com seus "Comics" do Spawn - 2016 


     Em 1994, Mcfarlane aventurou - se no mercado de brinquedos, a príncipio chamada de "Todd Toys" e mais tarde de "Mcfarlane Toys", criando bonecos hiper-detalhados e se tornando uma das mais bem sucedidas empresas de brinquedos. Após o sucesso continuado de Spawn, Todd chamou a atenção de uma variedade de grandes empresas incluindo empresas de brinquedos, estúdios de cinema e produtores de televisão. E o convite da produtora New Line Cinema para fazer o filme do Spawn veio em 1997, numa parceria entre a sua própria empresa "Mcfarlane Entertainement". Em agosto daquele ano, o filme do Spawn não se tornou o sucesso estrondoso que esperava, sendo mediano. Teve um orçamento de US$ 40 milhões e alcançou uma bilheteria de US$ 90 milhões de dolares mundialmente. E em 1999, ele comprou as bolas Mark McGwire (bola de baseball) em um leilão por US$ 2,7 milhões. Em 1997 até 2003, Mcfarlene viveu uma vida cheia de polêmicas e processos jurídicos, acusado por falta de direitos autorais nos personagens coadjuvantes nos quadrinhos do Spawn.

 Todd Mcfarlene com seus bonecos.


     Além de desenhista em quadrinhos, empresário, ele é também fã de esportes, sendo sócio de um time de hóquei, o Edmonton Oilers Hockey Club.

    E no dia 18 de junho de 2011, Todd Mcfarlane entra no Hall of Fame no prêmio Joe Shuster em Calgary.
                                           
Todd Mcfarlane em seu estúdio de "Comics" - 2016 (Ele ainda desenha as "pages" de Spawn).


Fontes:
- Revista: Wizmania n°08/2008
- Revista: Wizard n°5/1996 - ed. Globo
- Comic Book Legal Defense Fund (cbldf.org)
- Spawn.com (site oficial)
- Guia dos Quadrinhos (guiadosquadrinhos.com)
- Legião dos Herois (legiaodosherois.com.br)
- Area Geek (ecured.cu)


* Conheça também a história de Jim Lee (é um outro mito dos quadrinhos norte-americano).

03 agosto 2016

Narrativa Visual


Olá galerah!!!!...


 Para os estudantes de "COMICS" - nível avançado, tem um exercício bem legal de praticar a "NARRATIVA VISUAL"....É "reproduzir" ( uma “releitura”) das capas antigas, (mas tem que ser aquelas capas bem antigas! (mesmo!!), para não ter influências de artistas contemporâneos). Na "reprodução" você muda as "expressões corporais", "faciais", "luz e sombra", pode até mudar a visão da "câmera" (o ângulo da cena), MAS sempre mantem a "DINÂMICA" e o "IMPACTO" da cena da capa original, ou seja, respeitando o mesmo "ROTEIRO" da capa. 

    Vejam este exemplo, na imagem, eu escolhi a capa do "Spiderman Classics" de 1993 - desenhada por Chris Marrinan. E abaixo, a minha versão sobre a capa.



Carlos Rodriggs.

02 agosto 2016

Cometa Humano


    Esta semana recebi o convite para participar do projeto: "Heróis Brasileiros".  E tive a honra de desenhar o Cometa Humano, é um super herói brasileiro, Alien azul do tipo humanoide, criado em 2013 pelo o roteirista Lancelott Martins. A figura acima, mostra o personagem original desenhado por Lancelott. E a figura abaixo é a minha versão do personagem feito á lápis.



     E na imagem abaixo, é o personagem colorido, pronto para a publicação. (ah... as cores são do talentoso Dinei Ribeiro),



Arte by Carlos Rodriggs
Cores by Dinei Ribeiro
#ArtWork2016